Rinoplastia Secundária. Antes e Depois.Fotos

rinoplastia.secundaria.imagem

Os maiores problemas decorrentes de uma cirurgia de rinoplastia são conhecidos em seu conjunto de Nariz secundário. E essa cirurgia é chamada de Rinoplastia Secundaria ou Rinoplastia de revisão.
Existem dois problemas que são os maiores responsáveis após uma rinoplastia primária, que são:
• Patologia funcional, ou seja, diminuição da ventilação nasal.
• Problemas estéticos.

nariz.retoque.imagem

Quais são os problemas estéticos mais observados?

A maior parte dos pacientes de casos que precisam uma cirurgia de revisão a Rinoplastia Secundaria, são aqueles submetidos a uma rinoplastia fechada.

A técnica fechada é realizada com a remoção de cartilagem e ossos nasais, com intuito de encolher, apertar e reduzir o tamanho total do nariz.

Esta cirurgia já foi muito popular nos anos 80 e 90 na América do Sul, especialmente na Argentina e no Brasil. Nunca conseguiu alcançar ampla aceitação na Europa ou na América. Ainda hoje existem muitos médicos altamente experientes nessa técnica, e que realizam este tipo de cirurgia, e essa faixa etária abrange pacientes entre 18 e 55 anos.

São esses os defeitos mais comuns encontrados:

        • Ressecção ou raspagem exagerado da porção óssea.
        • Irregularidades do dorso
        • Ponta assimétrica
        • Sequias da Válvula nasal
        • Feminização nasal nos homens
        • Deformidade em teto aberto
        • Assimetrias nasais
        • Terço médio nasal estreito
        • Cúpulas assimétricas
        • Hiper-rotação da ponta nasal (focinho de porco)
        • Retração insuficiência e alar
        • Columela Pendurada

    rino. imagem.retoque

    Rinomodelação: Rinoplastia sem cirurgia

    E esse é segundo maiores problemas dos pacientes que geralmente precisam recorrer a uma rinoplastia secundária.

    São aqueles pacientes submetidos a uma rinomodelação, que também é chamada como rinoplastia sem cirurgia. A rinomodelaçao baseia-se na colocação da substância não absorvível em locais específicos para dar a aparência de uma ponta nasal mais rodada ou disfarçar a giba nasal, mediante a injeção de substâncias acima da raiz nasal.

    E esse procedimento é o que mais cresceu nos últimos anos.

    Detalhes sobre o dorso nasal

    O terceiro grupo, que geralmente requerem rinoplastía secundária corresponde a aqueles pacientes com pele fina que apresentam detalhes sobre o dorso do nariz e precisam tratamentos para engrossar ou emparelhar sua pele.

  • rino,odelacao.imagem

    Rinoplastia complexas

    O terceiro grande problema dos pacientes que são candidatos a uma rinoplastia complexa, que melhoraram muito a sua aparência, mas depois de um tempo querem melhorar ainda mais os mesmos problemas iniciais, ou problemas que não foram totalmente resolvidos.

    Os exemplos mais claros são os pacientes com assimetrias faciais, nariz torcido, desvio columelares.

  • Complexidade da Rinoplastia Secundaria

     A rinoplastia secundária ou rinoplastia de retoque é uma operação ainda mais complexa, se for comparada com a primeira cirurgia no nariz.

    Isto porque as estruturas nasais já passaram anteriormente por alterações na rinoplastia primaria, por isso estão ainda mais sensíveis. Então, o cirurgião plástico vai precisar manipular os tecidos da forma mais delicada possível.

    No entanto, se caso tiver a necessidade do uso de enxertos para modelar o nariz, a alternativa é fazer a retirada de cartilagem de outras áreas do corpo para reparar o nariz.

    Como já foi usada a cartilagem do septo nasal na primeira cirurgia, o médico especialista em rinoplastia secundaria vai precisar partir para outros locais do corpo, como orelhas ou ossos da costela.

    Sendo assim, os tecidos na realização da rinoplastia secundaria vão estar mais firmes e com fibrose no nariz. Deixando assim a manipulação cirúrgica ainda mais complexa.

     Complexidade também é relacionada com a quantidade de cirurgias realizadas anteriormente na mesma área. Quanto maior o número de procedimentos realizados pelo paciente, menor ainda será a quantidade de tecido disponível para que o médico profissional faça o trabalho de forma adequada e satisfatória.

    Por todos esses motivos, a cirurgia de reparo deve ser feita com muita cautela. Pois, a pele, a cartilagem e a vascularização dos tecidos já não são a mesma.

  • imagem.antesedepois.rinoplastiasecundaria
  •  

 

 

SEM COMENTÁRIOS